Riso Doce II

Data: 3 a 14 de Julho de 2017

Parceiros: Cromossomos e Aliança do Rio Doce.

Equipe: Aline Moreno, Arthur Toyoshima, Lívia Tejas e Tamy Dias.

Locais atendidos: Comunidades ribeirinhas do Espírito Santo.

Número de apresentações: 9 apresentações

Público atingido: aproximadamente 600 pessoas

Breve histórico: Em julho de 2017, Palhaços Sem Fronteiras Brasil em parceria com a Cia Cromossomos e a Aliança Rio Doce, voltaram as comunidades ribeirinhas do Rio Doce, locais afetados pela lama tóxica da Barragem do Fundão, que rompeu em novembro de 2015. Considerado o maior desastre ambiental do Brasil dos últimos tempos. Estima-se que a recuperação do rio seja de 60 anos.

A equipe retornou as comunidades de pescadores tradicionais, praças, escolas e na aldeia indígena tupiniquim de Comboios. Onde realizaram apresentações e oficinas para a população local.

Por Livia Tejas

“Mais uma vez estivemos diante das águas: das dele, das nossas.

Mais uma vez estivemos diante do movimento, do fluxo e das contradições: das que aparecem em torno dele, das que estão em nós.

Revimos muitas crianças que se lembravam de nós, mesmo no meio de tantos acontecimentos. Revimos o menino E., tímido artista nato que virou nosso fotógrafo profissional. Revimos o menino I. que bagunçava um monte e imitava meu rebolado do ano passado enquanto eu cantava o Dedum – tirava um sarro de mim, sem imaginar o tamanho da minha alegria no meio daquela brincadeira.

O Rio de lama e poesia: segue na direção do mar.
Eu Rio, com lama e poesia: sigo na direção do mar.”

Modo de Financiamento: Fundo de apresentações realizadas pela equipe do Palhaços Sem Fronteiras e recursos do grupo Cromossomos.